Serviços

Gestão Ambiental

Ações gerais:

  • Buscamos no mercado empresas licenciadas pelos órgãos ambientais e aptas a realizar o tratamento dos resíduos classes I, IIA e IIB.
  • Avaliamos o processo produtivo e o acondicionamento dos resíduos, a fim de eliminar riscos ambientais.
  • Elaboramos e entregamos aos órgãos ambientais o Inventário Nacional de Resíduos, conforme Resolução CONAMA 313/02 e os classificamos por tipo, de acordo com a ABNT – NBR 10004.
  • Fazemos o levantamento técnico e implantamos o PGR – Plano de Gerenciamento de Resíduos, o PGRSS – plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde e o PGRCCD – Plano de Gerenciamento de Resíduos de Construção Civil e Demolição.
  • Apresentamos propostas que possibilitem tornar o processo produtivo mais limpo, reduzir a geração de resíduos e economizar no uso de recursos naturais. Realizamos levantamento de passivos ambientais, a fim de propor soluções eficientes e economicamente viáveis, além de acompanhar o processo junto aos órgãos ambientais.
  • Elaboramos projetos para implantação ou adequação de Centrais de Resíduos, de acordo com as normas ambientais pertinentes.
  • Auxiliamos na certificação da NBR ISO 14001.
  • Realizamos avaliações técnicas nas empresas receptoras e transportadoras dos resíduos classes I, IIA e IIB.

Ações Secundárias:

  • Mapear as áreas geradoras de Resíduos.
  • Auxiliar na implantação ou adequação da coleta seletiva, sugerindo coletores e identificações para os locais de geração.
  • Avaliar periodicamente a coleta seletiva e os níveis de segregação, buscando alternativas para conscientizar os envolvidos quanto ao descarte correto.
  • Gerenciar e realizar a limpeza dos coletores disponíveis nos pontos de coleta.
  • Auxiliar nos treinamentos sobre desperdício, reciclagem, coleta seletiva, consumo consciente e sustentabilidade.
  • Elaborar os procedimentos operacionais.
  • Treinar a equipe nos procedimentos operacionais, nas normas de segurança e quanto ao respeito ao meio ambiente.
  • Emitir os manifestos de resíduos e solicitar a emissão das notas fiscais, além das fichas de emergências e do envelope de segurança para transporte dos resíduos classe I, perigosos.
  • Solicitar anuência do órgão ambiental quando for necessário destinar resíduos para outros estados.
  • Elaborar os relatórios gerenciais relativos à avaliação da coleta seletiva e à destinação dos resíduos.
  • Administrar os documentos ambientais relativos à destinação dos resíduos, ao retorno das 4ªs vias dos manifestos dos resíduos, aos certificados de destinação final e as licenças ambientais.
  • Auditar periodicamente as empresas transportadoras e receptoras dos resíduos, de modo a gerar formulário de controle e conformidades.
  • Buscar no mercado empresas especializadas e com as melhores oportunidades para tratamento, venda e destinação dos resíduos.
  • Elaborar e gerenciar banco de dados com as informações pertinentes à prestação de serviços tais como: relatórios gerenciais; procedimentos operacionais das áreas de trabalho; documentação legal e ambiental da contratada e das empresas envolvidas no processo; tabela de preços; cronograma de vencimento dos documentos ambientais e legais; ficha de emergência; manifestos de resíduos; certificado de destinação final; ficha de identificação dos aspectos e impactos que podem ser causados pelos resíduos gerados.

Gerenciamento de Resíduos

Ações gerais:

  • Realizamos a coleta dos resíduos gerados na planta do cliente, nos pontos gerados e nas linhas de produção, transportamos internamente até a central de resíduos para segregação, beneficiamento e acondicionamento adequado. O processo é realizado com equipe treinada e equipamentos adequados à realidade do cliente.
  • Comercializamos e destinamos de forma ambientalmente correta os resíduos classe I, IIA e IIB e emitimos toda a documentação pertinente à destinação de acordo com as normas ambientais.
  • Trabalhamos na transformação de resíduos em fonte de receita e na redução dos custos com a destinação final, realizando pesquisas periódicas no mercado, buscando melhores oportunidades ambientais e comerciais.

Ações Secundárias:

  • Elaborar cronograma identificando as rotas e horários das coletas, conforme fluxo de geração.
  • Estabelecer rotina de coletas, de forma a manter os coletores em níveis aceitáveis de armazenamento.
  • Recolher os resíduos armazenados nas diversas áreas da empresa.
  • Definir e identificar com placas personalizadas as áreas adotadas para armazenamento dos resíduos.
  • Segregar e classificar os resíduos, visando à melhor forma para beneficiar e acondicionar, agregando valor.
  • Solicitar que os veículos contratados para o transporte dos resíduos Classe I perigosos sejam munidos dos documentos e sinalizações regulamentadas pela ANTT, e respectivas NBRs.
  • Providenciar, quando necessário, manifestos, ficha de emergência e envelope de segurança antes da liberação do caminhão.





Conceitos

GERENCIAMENTO

Conjunto de ações exercidas, direta ou indiretamente, nas etapas de coleta, transporte, transbordo, tratamento e destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos e disposição final adequada de acordo com a legislação vigente.

RESÍDUOS X REJEITOS

Resíduos: material, substância, objeto ou bem descartado, resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos, cujas particularidades tornem inviável o seulançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d'água, ou exijam para isso soluções técnica ou economicamente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível;
Rejeitos: resíduos sólidos que, depois de esgotadas todas as possibilidades de tratamento e recuperação por processos tecnológicos disponíveis e economicamente viáveis, não apresentem outra possibilidade, senão a disposição final ambientalmente adequada;

COLETA SELETIVA

Coleta de resíduos sólidos previamente segregados conforme sua constituição ou composição;

RECICLAGEM X REUTILIZAÇÃO

Reciclagem: processo de transformação dos resíduos sólidos que envolve a alteração de suas propriedades físicas, físico-químicas ou biológicas, com vistas à transformação em insumos ou novos produtos, observadas as condições e os padrões estabelecidos pelos órgãos competentes do Sisnama e, se couber, do SNVS e do Suasa;
Reutilização: processo de aproveitamento dos resíduos sólidos sem sua transformação biológica, física ou físico-química, observadas as condições e os padrões estabelecidos pelos órgãos competentes do Sisnama e, se couber, do SNVS e do Suasa;

DESTINAÇÃO X DISPOSIÇÃO

Destinação final ambientalmente adequada: destinação de resíduos que inclui a reutilização, a reciclagem, a compostagem, a recuperação e o aproveitamento energético ou outras destinações admitidas pelos órgãos competentes do Sisnama, do SNVS e do Suasa, entre elas a disposição final, observando normas operacionais específicas. de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos;
Disposição final ambientalmente adequada: distribuição ordenada de rejeitos em aterros, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos;

GERADORES DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado, que geram resíduos sólidos por meio de suas atividades, nelas incluído o consumo;

CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS

Resíduos Perigosos - Classe I: Aqueles que apresentam significativo risco à saúde pública ou à qualidade ambiental, em razão de características como inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade, patogenicidade, carcinogenicidade, teratogenicidade ou mutagenicidade. Exemplos: óleos lubrificantes, tintas, solventes, colas etc.
Resíduos não Perigosos não Inertes - Classe II A: Aqueles que não se enquadram nas classificações de resíduos Classe I - Perigosos, porém podem apresentar riscos devido a propriedades como: biodegradabilidade, combustibilidade ou solubilidade em água. Exemplos: restos de alimentos, lixo comum, resíduos de varrição e de banheiro.
Resíduos não Perigosos Inertes - Classe II B: Quaisquer resíduos que, quando amostrados de uma forma representativa, segundo ABNT NBR 10.007, e submetidos a um contato dinâmico e estático com água destilada ou desionizada, à temperatura ambiente, conforme ABNT NBR 10.006, não tiverem nenhum de seus constituintes solubilizados a concentrações superiores aos padrões de potabilidade de água, excetuando-se aspecto, cor, turbidez, dureza e sabor. Exemplos: plásticos, vidros, papéis, metais, entulho etc.